Perfil

É Pessoa de gosto fino, de gozo requentado sem afinco. Pouco importa se o tempo corra, desde que escorra. Gosta de sentar e ver a vida passar, de passear e ver a vida assentar. Costura um faz-de-conta de meninices de um palhaço resmungão, que cantarola os contos dum mocinho-bandido ladrão de coração. Pra fora do calabouço, pela janela de aluvião, se ver na ‘água de rio que vai para o mar’, é ‘nuvem nova que vem pra molhar’.

É photo bonita, de moça faminta por gotas de chuvas com gosto de fuga. É coisa que destina o drama que confidencia, a coincidência que desatina a palavra de Deus, arauto de aporias?

Réstia?

Borda o jardim. Suspira o café. Castelo de Marfim. Punhado de mel. Dilui o abraço. Olho quadrado. Réu da folia. Gaiola de fios. A alegria dos versos é a mudez da sintonia.

Está Pronta!

Está pura, está nua e crua!






Por Sanchez

1 Copos na Mesa:

Geiisa. 3 de março de 2010 15:23  

"-água de rio que vai para o mar, é nuvem nova que vem pra molhar".

-Raça Negra, fragueei!

"suspira o café", adorei isso.

;*

Postar um comentário

Numa garimpagem excêntrica, numa tentativa rústica de identificar o desnorteio (da psique) de um outrem que, em meio a confusão da dor, do ser, do vir e do está é que buscamos os melhores contos, histórias, realidades, fantasias, dramatizações, drasticidades e a honestidade do amargo, na qual somos complacentes do contexto ímpar, porém não único da vida de um HOMEM, de sua "catarse" sentimental diante de um balcão de bar.


Rodolpho Bastos
&
Tim Pires

Afinados

Tecnologia do Blogger.